segunda-feira, janeiro 27, 2014

We need to talk about Hoodoo, com Kefron Primeiro



Ola pessoal, como vão?
Aqui é o Heustam e hoje trouxe uma entrevista muito boladona para vocês. Kefron (Nome Mágico) é praticante de Bruxaria Tradicional, ele explica que nela ele encontra respostas e incentivo pro seu crescimento espiritual. Mas o interessante mesmo, é que ele usa o Hoodoo, um sistema afro-americano de magia para complementar isso... pedi para entrevista-lo, e vejam, ele aceitou.


Oi Kefron, é um prazer ter você aqui com a gente falando sobre um tema tão difícil de se encontrar na web. Então, conte para a galera: Como você conheceu e o que te fez seguir praticando o Hoodoo?



Cat Yronwode
Eu ouvi a palavra hoodoo em muitos lugares, comecei a estudar sobre bruxaria e paganismo por volta de 2000, então de lá pra cá ouvi um pouco sobre tudo, mas não havia me interessado pelo assunto até assistir o filme “A Chave Mestra”, mas foi aquele interesse tipo: “ah que legal, vou pesquisar sobre isso...” mas esse “isso” nunca se aprofundava... em 2003, bem antes do filme, comprei um livro que se tornou meu livro de cabeceira – chamado “A Magia de Todos os Tempos” do Draja Mickaharic -, e comecei a absorver tudo o que ele ensinava nos anos seguintes, mas o Draja nunca chamou o que ele ensinava de Hoodoo. E pra ser franco eu nunca me importei, eu estava focado em outras coisas, eu estava em outra vib...  Então no fim de 2012 um amigo meu disse que estava estudando sobre Hoodoo, então pedi que ele me ensinasse, mas ele nunca se importou com isso de ensinar, então comecei a pesquisar, pesquisar, pesquisar, e por fim no ano passado um outro amigo meu veio a dizer que tudo o que o Draja praticava não passava de Hoodoo puro e simples, por isso o sistema me é tão fácil, porque sempre esteve presente em minha vida, mesmo que eu não tenha dado lá tanta importância... mas o que me fez seguir mesmo foi ter começado o curso de Hoodoo ministrado pela Cat Yronwode.

Hm. Esse curso, onde foi? E o que você viu nele para você fazer esse marco

O Curso da Cat. Yronwode é um curso a distância, você solicita a inscrição, faz a entrevista que pode ser por telefone (se você mora em outro país – no caso ela mora nos Estados Unidos) e ela te envia o que é necessário (que no caso é os livros – todos em inglês), a senhora Yronwode é uma das mais respeitadas figuras da America Conjure na atualidade. Não é o que eu vi, mas o que me fez; eu ganhei o curso dela, e ela é muito atenciosa com o que faz, e o curso dela tem nada mais nada menos que um ano de duração, sendo um dos cursos mais longos sobre hoodoo; após termina-lo você terá conhecimento suficiente sobre Hoodoo – Conjure e Rootwork.


Hm. Que interessante. então já fica ai a dica para o pessoal, ? Hahaha. Mas acredito que ainda existam muitas pessoas que não sabem do que se trata: O que é Hoodoo nas suas palavras?

Sim, com certeza, recomendo o curso da Cat Yronwode. Pra mim - e isso é algo pessoal - Hoodoo é um sistema mágico (desse jeito), um sistema pra utilizar a magia, mas não tem deuses, ou seja, é um conjunto de técnicas mágicas que foram unidos pra causar resultados no plano físico. Tem um pouco de Xamanismo Americano (que traz toda sua magia com ervas e formas de cura – e outras coisas...); tem um pouco de Voodoo (que traz suas crenças de como as coisas funcionam no mundo dos homens e no mundo dos espíritos – e outras coisas...); tem um pouco de Magia Medieval (Que nos ensina um pouco de como utilizar os Grimorios, com seus pantaculos, seus salmos, orações, adivinhações e outras coisas...). MAS pra praticar o Hoodoo, o novo adepto (digamos assim) tem que além de estudar muito, ter uma religião, uma fé, ou acreditar em alguma coisa que não seja apenas nele mesmo (tipo acreditar em Deus).
Cena do filme "A chave mestra", titulo brasileiro de "The Skeleton Key"

O que você sabe sobre Patuás e Mojo bags no Hoodoo? Poderia falar um pouquinho para a gente?

Patuás e Sacos mojo (mojo bag) são coisas totalmente diferentes, mas também são irmãs. Os pátuas são geralmente feitos e utilizados por praticantes do Candomblé, com tecidos de cores que fazem referência ao Orixá, assim como as ervas que os contem, e o Candomblé vem da África – isso é tudo o que sei sobre Patuás, sei muito pouco também sobre Candomblé. Mas existe uma ramificação do Candomblé que é muitíssimo semelhante ao Voodoo Haitiano. O Saco Mojo é um saquinho que geralmente tem a cor vermelha, feito de flanela, que deve conter objetos, ervas e minerais específicos e que tenham um proposito também específicos, que quando conjurado, passara a ter um imã pra quilo que se deseja. Existem muitos outros “saquinhos” desse gênero que servem como amuleto de sorte, amor, ódio, vingança... tem também os populares como o Ju ju (puramente do Voodoo e totalmente diferente do Saco Mojo, esse se assemelha muito com o nosso Pátua brasileiro) e o Gris Gris primo de primeiro grau do saquinho Mojo digamos assim.


Então os saquinhos podem ser usados para vingança e ódio? Neste caso você deveria esconde-los na casa da pessoa?

Tudo no Hoodoo pode ser usado para vários propósitos, é um sistema magico; vingança e ódio é algo muito pesado, mas sim, os saquinhos podem ser utilizados para esses propósitos sim. Sobre esconder na casa da “vítima” é engraçado isso, porque se você tem acesso a casa da pessoa, ela é no mínimo alguém que te considera um “amigo” você concorda comigo? Geralmente essas “coisas feitas” que se destina a alguém, chamamos de “truque”, alguns conjures e rootworks chamam de “travessura” outros chamam de “Brincadeira”, pode ser algo de mau gosto, mas é assim. Sim deve ser escondido sim na casa da pessoa, enterrado no quintal e assim vai... mas tudo isso vai depender de uma única coisa: Para onde sua bula moral aponta. Se a pessoa descobrir o saquinho, o mesmo perde o efeito. 




Verdade. Mas e para a proteção? Quais métodos você acha mais interessantes no hoodoo para esse fim? O circulo de barro é realmente funcional?

Você não precisa se vingar de uma pessoa diretamente sabe, pode só dar uma azedada na vida dela usando uma garrafa de vinagre (risos), mas isso só quando a pessoa está realmente passando dos limites, e quando uma boa conversa não resolve ou surte efeito. Pra proteção, eu particularmente uso garrafas de bruxa, sem falar que sempre faço lavagem de chão onde moro; sim com certeza, pó de tijolo vermelho colocado da direita pra esquerda na porta da casa, nas janelas ou em formato de círculo ao redor da casa impede pessoas e energias indesejadas de entrar. Aconselho misturar sal ao pó de tijolo vermelho, assim purifica toda e qualquer energia enviada até sua porta...



Bem interessante saber que o filme “Chave Mestra” apesar de adaptado tem fundos de verdade!
Uma vez ouvi falar sobre Vaso Hoodoo para subjugar e evocar entidades (principalmente quando se estuda sistemas mágicos como a Goetia). Esse qual a real utilidade deles? Como eles funcionam?

Então, não é assim... é diferente as formas de conjurar do Hoodoo, não sei se existe algo assim, mas posso pesquisar sobre. Acredito que não exista nada assim no hoodoo... o grande problema mesmo é que muitos pesquisadores utilizam como fonte os livros do Harry Hyatt, não que isso seja um problema, o problema mesmo está em levar tudo ao pé da letra, o sr. Hyatt não sabia o que estava fazendo, então acabou escrevendo a palavra “Feitiçaria” muitas vezes... Hoodoo tem um fundo de Bruxaria sim, mas o Hoodoo não é Feitiçaria, também tem um pouco, mas o hoodoo tem um pouco de muita coisa... então provavelmente quando se junta a palavra hoodoo e a associa a feitiçaria acabamos tendo ou vendo muitas coisas erradas; o Hoodoo é totalmente diferente do sistemas “paganismo”, “Wicca”, “Feitiçaria”... a pessoa não consegue entrar no hoodoo achando que só vai reciclar algumas coisas, tem que aprender tudo de novo.  
Então é provável que tenha sido só uma denominação, não é mesmo?

Talvez ate um erro de tradução. Existe realmente o uso de bonecas, mojos e coisas do gênero, que precisam ser alimentados ou carregados com determinados elementos e óleos... Por exemplo: quando você faz um saco mojo pra sorte, você geralmente alimenta esse saco mojo com um óleo (pode ser óleo de jalapa – High Jhon the Conqueror), uma vez por semana ou uma vez por mês, vai depender muito do propósito, da feitura do Saquinho... Como falei, não sei se existe isso no hoodoo, mas tenho quase certeza que não existe (Vasos Hoodoo). Pode existir vasos de invocação, mas são de outras tradições mágicas, por exemplo, sei que existem vasos do tipo em bruxaria tradicional como por exemplo a Caveira de Qayn; são realmente vasos, que contem elementos que ligam a um espírito ou entidade, as vezes sangue (por conta do fluido vital), selos, e são feitos em determinados dias e horas. Existe algo parecido com isso no Palo Maiobe também, mas não posso falar nada com certeza. No Hoodoo se utiliza os Sacos Mojo, os bonecos, espelhos, pentes, coisas do gênero... em que se conjura um espírito, um familiar (não falo de um animal família, mas de um espírito de um familiar morto – um tio, uma avó, um primo), uma energia no objeto especifica, com um propósito especifico, então se alimenta esse saco mojo, esse boneco, espelho, pente.... com sangue (muito raramente) óleo, água... mas isso vai depender da religião do praticante, como falei também, o hoodoo não é religião, então não tem divindades nem deuses específicos. Então, tem que ser criativo... por exemplo, se você quer que alguém se apaixone por você, nada melhor que fazer essa pessoa pensar em você né, basta ter um pente dessa pessoa, imbuí-lo com energias que façam ele pensar em você e está feito.



Você poderia falar mais sobre o uso das plantas no Hoodoo, um panorama geral?

No hoodoo quem trabalhar diretamente com ervas são os Rootworks, embora esses também sejam conjures, são exímios herbalistas, sabem encontrar ervas e plantas, sabem cultiva-las, sabem preparar banhos, sabem como prescrever um remédio hérbal. Os Conjures são pessoas que trabalham com ervas, e utilizam magia em si; utilizam a magia contida nas ervas, nos minerais, nos líquidos. Falar sobre plantas é algo que tem de ser feito com muita delicadeza e trato. Reza uma lenda que quando Deus fez tudo, ele colocou na natureza tudo o que precisamos pra viver e morrer... e isso é um fato. A partir da observação da natureza construímos tudo o que temos hoje em dia na sociedade: medicina, economia, cultura, arquitetura... E é com esse mesmo trato que devemos tratar as ervas e plantas no hoodoo, devemos observa-las, analisa-las, entende-las e se possível cultiva-las (é no cultivo que temos um dos maiores aprendizados.) todas as coisas no mundo tem sua assinatura – única e particular - , uma carga mágica pessoal, uma energia contida. Nas ervas e plantas não é diferente. Para melhorar ou para aperfeiçoar o estudo de ervas e plantas acabamos dividindo-as em grandes categorias como por exemplo: amo, prosperidade, sorte, azar, maldição, cura, veneno e assim vai... mas para serem utilizadas de forma correta tem que estuda-las. Como falamos de mojo recentemente, você pode fazer um Saquinho Mojo para atrair amor, e dentro desse saquinho devera contem ervas de amor, por que esse é o propósito certo. Eu poderia utilizar varias ervas em meu saquinho mojo (no fim das contas deve contem no máximo 13 itens dentro de um saco mojo, não mais do que isso, e sempre deve conter um número ímpar de objetos, ervas e minerais...). Ervas para o amor: Erva de gato, cedro, café, gergelim, hibisco, rosas, junipero...

E por fim: Quais livros e literatura você recomenda para quem ta começando? Essa é a ultima, eu juro hahaha

Tenho que dá uma má noticia aqui. Não existem livros exclusivamente sobre hoodoo em Português, não que eu saiba. Alias, existem os livro do Draja Mickaharick, indico fielmente o “A Magia de Todos os Tempos” Editora Best Seller. Também Indico meu pequeno site, que estou reunido meus textos sobre Hoodoo, Bruxaria, Conjure e rootwork.

Kefron é editor da pagina “Fastluck Brasil”, alem de escrever em seu site: www.fastluck.bl.ee


Um comentário :

  1. A imagem de Cat Yronwode atrapalhou a leitura da primeira resposta. :z

    ResponderExcluir

 
Copyright © 2014 BRUXARIA HIPSTER