sábado, fevereiro 01, 2014

Servos Astrais PARTE 2 -Addendum


       Saudações, humanos! Hoje eu estou aqui para dar continuidade na matéria do nosso amigo Heustam sobre SERVOSASTRAIS. Conversando com algumas pessoas, pude perceber que eu tenho uns macetes bem bacanas pra passar pra vocês e que vão evitar MUITO que vocês se deem mal no futuro. 
        A primeira coisa que você deve saber é: SERVOS ASTRAIS NÃO SÃO POKÉMONS, não adianta você criar 150 e não dar conta da manutenção de 1. As consequências de um Servo Astral com fome podem ser bem desagradáveis e até graves. Para ilustrar, um Servo Astral com fome pode muito bem vampirizar uma pessoa uma vez pra se alimentar, mas se seu criador continua a lhe negligenciar a devida atenção, o Servo vai atrás daquela pessoa que ele já conseguiu vampirizar uma vez (porque afinal, sabe que tem alguma afinidade com ela) ou procurar outra, se não for possível a aproximação da primeira, e vai continuar a vampirizar essa pessoa indefinidamente (dá pra chamar de vampirismo de longo termo). Com o tempo, essa pessoa vai sofrer desequilíbrios em seus corpos sutis, que mais tarde evoluirão para doenças graves (desde gripes fortes até câncer) e saiba você: querendo ou não, TUDO o que o teu Servo faz é responsabilidade SUA, o carma é SEU. 
            Eu fiquei quase um ano inteiro planejando meu primeiro Servo, e isso valeu MUITO a pena. Nesses onze meses e meio eu consegui me conectar muito bem com uma fonte de inspiração e  “desenvolvi’’ (as coisas acontecem de maneira tão espontânea que a gente até duvida que fomos nós os responsáveis) muitas travas de segurança e macetes em relação aos Servos Astrais.
            A primeira vez que eu ouvi falar em algo assim tinha sido com o Konstantinos em seu livro “Bruxaria Noturna- magia depois que o Sol se põe’’ (Madras) e depois, muito fascinado com essa possibilidade, cheguei a Franz Bardon (ele é um lindo de morrer, acreditem!) e aí a coisa engrenou de vez.
            Vamos ver como podemos tomar certas medidas de segurança para evitar que as criaturas se voltem contra seus criadores e algumas medidas mais para evitar que um Servo Astral saia vampirizando meio mundo por aí e aumente seu saldo negativo no Crédi-Karma.
           

 Começando: Planejamento, Planejamento e MAIS Planejamento
                Pessoas, eu sei que quando a gente quer muito uma coisa tem que ser na hora, bem rápido e de preferência com fritas acompanhando, mas certas coisas não podem ser feitas de maneira desleixada... Servo Astral está na lista dessas coisas. Um Servo mal feito vai morrer logo, ou então ser derrotado fácil por qualquer energia que o confronte (Um Servo de proteção que se machuque com um palavrão em um momento de raiva COM CERTEZA não vai conseguir te defender daquela macumba braba, meu amigo...). Outra coisa que pode acontecer é o Servo sair de controle e se proclamar novo dono do mundo entre outros efeitos colaterais.
             Por esses e outros motivos você deve pensar, antes da aparência do seu Servo, a MANEIRA QUE ELE VAI OPERAR. Se eu fizer um Servo de proteção dando como diretriz a ordem “me proteja de tudo o que me faz mal’’ então estou ferrado, vai chegar uma hora que ele vai me privar de ar porque o oxigênio libera elétrons que podem danificar o DNA e causar envelhecimento! Ou então um Servo de prosperidade com a diretriz “Me faça ser promovido” vai se tornar um problemão. Pensa comigo, o que é mais fácil: uma série de pessoas acima de você na pirâmide ganharem uma promoção até chegar na sua vez, ou aquele teu superior imediato sofrer um acidente, morrer e precisarem colocar você no lugar dele? Lei Universal, galerinha: o Universo sempre segue o caminho de menor resistência! Se você não especificar tudo direitinho, teu Servo vai fazer aquilo que der menos trabalho!
                Por isso, primeira trava de segurança do teu Servo: DIRETRIZES. Você já conhece as três leis da robótica? Pois bem, são essas:
·         1ª Lei: Um robô não pode ferir um ser humano ou, por inação, permitir que um ser humano sofra algum mal.
·         2ª Lei: Um robô deve obedecer as ordens que lhe sejam dadas por seres humanos exceto nos casos em que tais ordens entrem em conflito com a Primeira Lei.
·         3ª Lei: Um robô deve proteger sua própria existência desde que tal proteção não entre em conflito com a Primeira ou Segunda Leis. 
            Leve em consideração que um Servo Astral, à princípio, é um robô etérico. Claro, se for um Servo de proteção você provavelmente não vai se importar se ele causar um ataque cardíaco na pessoa que está te apontando um revólver... então a coisa complica ainda mais, pois há a necessidade de especificar em QUAIS situações, e contra QUEM, ele deve agir de maneira violenta. Como eu disse antes, o Servo vai seguir o caminho da menor resistência, e se não tiver “no contrato” ele não terá obrigação NENHUMA de parar pra analisar se essa arma na mão da criança é de verdade ou se ela só está brincando contigo com um revólver de brinquedo. Percebe o peso das suas ações? Pois é.
   Outra parte fundamental na segurança do teu Servo é o corpo físico dele. A experiência mostrou para vários de nós que, quando um ser etérico tem algo pra se fixar no físico, seu poder de ação neste plano fica mais fácil. Esse corpo físico pode ser qualquer coisa: um desenho, um livro, uma estátua, até mesmo uma casa, mas algo sempre haverá em comum entre qualquer objeto escolhido: você deve colocar a marca de seu Servo nele para que ele se fixe com mais facilidade. Essa marca, naturalmente, será um sigilo (consultem o oráculo google se não souberem o que é) e aqui podemos reforçar ainda mais a segurança de que nosso Servo não nos fugirá ao controle. Faça o sigilo do teu Servo. Como exemplo, usarei um desenho simples, veja abaixo:
O nome fictício do Servo é AMARANTH.  Tirando as letras repetidas, AMRNTH, usando essas letras componho o sigilo. (Aqui optei por não usar a letra R, nenhum motivo específico).
            
 (obs: na verdade  eu esqueci de pôr o R)
           AGORA eu devo fazer um sigilo PRA CADA DIRETRIZ que meu Servo deve seguir, e então incorporá-los ao sigilo do meu Servo .  Então, por exemplo, eu faria um sigilo da frase “não pode ferir um ser humano ou, por inação, permitir que um ser humano sofra algum mal” e dela fico com as letras NAOPDEFRIUMSNTQGL e formo um pequeno sigilo com elas, incorporando ao sigilo do meu Servo, de forma que isso faça parte do que ele é. Não vou usar todas as letras (existem várias formas de sigilação, desde com letras até a desenhos, mas estou usando essa por ser a mais simples) então obtive:


       Eu sei que ficou bem podre, mas é só pra ilustrar que ambos os sigilos devem se fundir. (Você pode usar as letras e ir modificando-as até formarem um desenho totalmente desconexo com o alfabeto, então misturar os desenhos dos sigilos e formar um único desenho. Seja criativo!)
        Algumas diretrizes bem úteis que utilizo em meus Servos:
*Não infringe dano ao teu criador, a menos que ele ordene.
*Não impede teu criador se ele fizer, ou estiver em vias de fazer para ti, um ritual ou ordem de morte que destruirá você.
*Obedece somente a teu criador, a menos que ele ordene diferente.
*O teu criador define quando e como  te alimenta, de forma que jamais você procura fontes que não as indicadas por ele quando for ordenado a fazê-lo.
E agora as mais importantes diretrizes:
“Quebrar qualquer uma das diretrizes leva a sua morte imediata. Seu corpo se decompõe em energia benéfica e é absorvido pelo solo”
“A destruição do teu corpo físico leva imediatamente a destruição dos teus corpos energéticos, que se decompõe em energia benéfica e são absorvidos pelo solo’’

Obs: é DE EXTREMA IMPORTÂNCIA colocar todas as diretrizes no PRESENTE, de forma que elas sejam cumpridas NO PRESENTE. Sabe aquela coisa que você sempre deixa pra amanhã e esse amanhã nunca chega? Então, as coisas não devem ser planejadas pra AMANHÃ, e sim pra HOJE, AGORA, então tudo no presente... outra coisa importante: é bom focar que a energia da decomposição do(s) corpo(s) sutil (is) do Servo sejam absorvida(s) pelo solo (conforme o Servo ganha complexidade, ele desenvolve mais corpos sutis, cada um especializado em uma função, como pensamento, emoção, raciocínio lógico, imaginação, etc) pelo seguinte fato: quando nós morremos, retornamos à fonte, o mesmo ocorre com os Servos Astrais: quando morrem, a energia deles volta pra fonte que É VOCÊ. Agora imagine só se seu sistema nervoso vai aguentar a carga energética de um Servo bem desenvolvido? As consequências dessa agressão no teu corpo podem levar à ataques cardíacos fulminantes e a AVC´S, por exemplo. 
     Outro aspecto importante dessas duas diretrizes fundamentais é o fato da existência do Servo estar diretamente ligada ao corpo físico dele. Se ele encontra um meio de burlar suas diretrizes (toda Lei tem suas brechas) e ele te incapacitar de fazer um ritual ou coisa assim, você ainda pode quebrar com toda a força que conseguir a estátua/estatueta que é o corpo físico dele, ou jogar o boneco de cera na água fervente, ou queimar/rasgar/queimar e rasgar o pedaço de papel em que ele reside (pra mim são os melhores corpos: podem ser dobrados, são resistentes à impacto e fáceis de destruir se necessário. Nessas horas você entende o motivo do Mago Clow ter feito as Clow Cards em Sakura Card Captor).
Enfim, NÃO ECONOMIZE TEMPO FORMANDO AS DIRETRIZES DO TEU SERVO, tente preencher cada possível brecha, cada erro, NUNCA use vícios de linguagem, ambiguidades ou forças de expressão, capriche bem para que, mesmo com todas as restrições, o Servo ainda consiga seguir o propósito de sua criação.
     
 SEGUNDA PARTE: ALIMENTAÇÃO

       Algo que costumo fazer é planejar bem a alimentação dos meus Servos. NUNCA DÊ INDEPENDÊNCIA ALIMENTAR AO SERVO, é isso que o prende à você, ele precisa de você pra sobreviver.  Durante uma semana, eu costumo acender velas de 7 dias e ordenar que o Servo recém criado se alimente delas para se fortalecer (lembra que um Servo fraco não serve de nada?) antes de manda-lo seguir minhas ordens. Geralmente as velas que deviam durar sete dias duram apenas dois.  Acender velas, oferecer frutas cortadas e energia sexual através do orgasmo são ótimos meios de alimentar o seu Servo, mas não esqueça: NENHUMA fonte vai te privar da obrigação de gastar um tempo visualizando seus Servos, dando a eles constituição mental e densidade (ta vendo porque 150 é bem inviável pra maioria de nós? Imagina ter que ficar 10 minutos visualizando, um a um, 150 Servos Astrais!).
Creio ter dito o suficiente sobre alimentação. CLARO QUE EU SEI QUE É COMPLETAMENTE DESNECESSÁRIO DIZER que se você não alimenta seus Servos eles morrem, não é mesmo, galerinha?
           
 TERCEIRA PARTE: INTERAGINDO COM SUA CRIAÇÃO
Pessoal, deixa eu esclarecer umas coisas sobre Servos Astrais: no começo eles são bem robóticos, mas não demora quase nada (coisa de semanas) e eles desenvolvem a capacidade de sentir, por estar em sintonia conosco eles adquirem muitas de nossas qualidades. Tratar seu Servo como se fosse lixo ou um escravo não será nada saudável para nenhum dos dois, principalmente pra você que vai sentir um cheiro estranho e quando se der conta já terá merda até os joelhos com a criatura que se voltou contra o criador... Sejam firmes com eles, mas sejam, antes de tudo, humanos! Se esforcem para ganhar o apreço de seus Servos, de forma que para eles seja um prazer estar trabalhando para você e com você.
Para se comunicar com ele você tem uma infinidade de escolhas: um pêndulo e um alfabeto (meus preferidos) para ele ir soletrando pra ti caso não tenha a capacidade de se mostrar ou falar no nível físico (Ou você não tenha a capacidade de ver e ouvir o Astral), aparecer em sonhos (ele já tem que estar fortinho pra fazer isso, e você preparado e aberto a isso) ou o mais legal de todos que seria uma manifestação aqui no plano físico... claro que isso exige uma experiência e energia muito grandes, mas nada é impossível!!!  Use o meio de comunicação de sua preferência para saber como ele se sente, se necessita alimento, se tem algo a te dizer, etc.
    
QUARTA PARTE: ADEUS
Essa é a fase mais importante na vida de um Servo. Quando ele já cumpriu com seu propósito ele vai se sentir deslocado e a falta de objetivo existencial vai causar um estrago grande nele quando ele perceber que não tem mais nada pra fazer. Então é hora de dizer adeus antes que alguma catástrofe ocorra. Destrua seu Servo.
Se ele já é bem forte, e você consegue ver novos usos para ele, simplesmente dê uma nova ordem e faça as alterações no corpo dele (através de prolongadas [plural] visualizações) e deixe que ele siga feliz para cumprir com seu novo objetivo. Outo meio que desenvolvi é ordenar que o Servo entre em uma hibernação profunda até que você o evoque novamente se necessário. Fazendo isso, ele ficará no corpo físico dele e vai “dormir”, cessando a maioria de suas funções vitais (Ainda será necessário alimentá-lo, embora com muito menos frequência. Use um pêndulo para averiguar a frequência necessária).
Tome a decisão que quiser, mas sob hipótese alguma permita que ele viva sem propósito. Outra coisa: ao primeiro sinal de desobediência, destrua-o! (Sim, bem judaico-cristão...) Antes que a coisa fuja do teu controle.
Pra concluir o assunto: Uma vez morto, morto está! Nada de evocar a entidade que você destruiu. Já pensou como lidar com um Servo que se lembra plenamente da tua frieza quando o matou pela primeira vez, e que tem a certeza absoluta de que você fará isso novamente? Pois é...

Eis os meus conselhos sobre Servos Astrais para vocês, pessoal! Lembrem que Servos Astrais exigem responsabilidade enquanto eles existirem. Abraço e até a próxima!
-Zórdic

6 comentários :

  1. Austin Osman Spare e meus mentores curtiram isso !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz em saber que apreciou meu texto. Espero que faça bom uso dele! Abraço!

      Excluir
  2. Eu adoro esse assunto de servos astrais e também familiar. No entanto não conheço muito sobre familiar e caso pudesse abordar o assunto eu ficaria imensamente grato. ÓTIMOS textos !!!

    ResponderExcluir
  3. Eu fiz um servo sem intenção de destrui-lo, pra isso criei 112 regras rsrs, por enquanto está tudo bem...

    ResponderExcluir
  4. E se eu quiser um amigo, servo isso?

    ResponderExcluir
  5. O link do livro "Bruxaria Noturna- magia depois que o Sol se põe" esta offline... Teria como repostar?

    ResponderExcluir

 
Copyright © 2014 BRUXARIA HIPSTER